Google+ Followers

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Mordomia



Tenho medo de sair de casa
E entrar no fluxo das avenidas
Em cada cruzamento
Olhares que se cruzam
Pessoas que esnobei no passado
E que agora invejo a felicidade
Os amigos que eu tinha para sempre
E pouco a pouco me deixaram
Eu quis vender o meu trabalho
Mas exigiram minha alma
Quis abandonar algumas coisas
Mudar os planos, as rotas, os bares
Eu que já nem bebo, nem puxo um beck
Que sigo as regras desse jogo sujo
Sabendo que só tenho a perder
Vou ao médico, leio a bula, escovo os dentes
Pago as contas, faço as compras, masco chicletes
Vou ao cinema, ao teatro e ao motel
Na igreja não vou.
E à noite rezo, porque tenho medo
De morrer e não ir para o céu. 

Pedro Paiva

Nenhum comentário:

Postar um comentário