Google+ Followers

quarta-feira, 30 de março de 2011

Dica de Leitura Nº 01/2011


Desventuras Em Série - Lemony Snicket
Voltei! Não demorei nada, heim!
Bom, a primeira dica do ano é também a mais foda. Foi a primeira que me veio à cabeça, por que esses dias mesmo andei fuçando sites de livrarias para comprar os livros dessa série maravilhosa.
A boa notícia é que encontrei eles em promoção, a má notícia é que são 13 livros!
Calma, calma. Não precisa desistir antes de começar. É uma série grande sim, já até comentei aqui no blog sobre ela, mas é simplesmente encantadora. Se você começar a ler, não vai querer parar antes de terminar.
Lemony Snicket, na verdade, é um pseudônimo do gênio Daniel Handler. Ele fez isso, talvez, para dar mais veracidade à história. O que por si só é um paradoxo. Digo isso porque é um dos poucos livros de literatura infanto-juvenil que não tem magia. Por magia, quero dizer mágica mesmo, Abracadabra, Pirlim pim-pim e Vingardium Leviousa. Sim, não tem ninguém fazendo mágicas nesse livro, nem animais fantásticos, nem castelos encantados. No entanto, toda a sua atmosfera está carregada de algo surreal, que só se pode chamar magia. Essa sensação mágica que paira sobre toda a estória é um dos grandes feitos de Handler.
A estória gira em torno de três irmãos, os Baudelaire: Violet, Klaus e Sunny. Seus pais morreram em um incêndio que destruiu sua casa e os órfãos Baudelaire não tem para onde ir. Aí entra o Sr. Poe, um corretor bancário que cuida da heranças dos irmãos. Poe fica encarregado de arranjar uma família para as três crianças. No primeiro livro Mau Começo eles vão parar nas mãos, ou melhor dizendo, garras do Conde Olaf, o vilão da série. Olaf tenta roubar a herança dos jovens até que é descoberto, e dá-se incício a uma fuga contínua que percorre os 13 volumes até O Fim (título do último livro). A cada livro o Sr. Poe articula um novo tutor para os órfãos e em cada um dos livros o Conde Olaf consegue destruir o que por muitas vezes parecia ser uma família substituta ideal. No desenrolar desses acontecimentos, uma Sociedade Secreta, a CSC, vai tomando forma como o mistério central da trama. O que está intimamente ligado à morte dos pais dos Baudelaire e ao Conde Olaf.
Novos personagens surgem a cada livro, tanto do lado do bem, quanto do lado do mal. O mais interessante são os tipos sociais que eles incorporam, sempre estigmatizando características do mundo real de uma forma cômica. Como por exemplo um homem que tem fobia de enfrentar qualquer pessoa. Ou uma mulher que é fanática e rege toda a sua vida e atitudes com base no que está ou não está na moda. E assim por diante.
Uma das viagens mais incríveis que já fiz na literatura. Já li todos os treze livros e agora busco adquirir todos eles para reler sempre (como faço com Harry Potter há 5 anos) porque histórias como essas não podem ser esquecidas jamais.

E pra quem gosta de acompanhar as adaptações cinematográficas, Desventuras em Série tem um filme que trás para as telonas os três primeiros livros. Tem o Jim Carrey na pele de Conde Olaf e Maryl Streep como Tia Josephine.

Nenhum comentário:

Postar um comentário