Google+ Followers

sábado, 3 de setembro de 2011

Sobre amar


Me desejo ao seu lado/lado inverso.


À meia-luz da lua cheia.
No esforço de rever seu rosto refletido no rosto da estrela.
No apelo de sentir o suor da sua mão
Misturar-se ao calor da minha palma.


Me encontro preso.


Frígida alma,
Torturada à luz da lua.
Esfacelada cela,
Sempre aberta a quem procura.


Sigo só por esta rua.
Lívida ida, livre da volta.
Escuso a chegada.
É só partida
e caminhada.


                                      Pedro Paiva

Um comentário: